Biografia de Pitágoras: Vida e obra de um matemático


Compartilhe Este Artigo No Seu Orkut


Pitágoras


Pitágoras representado por Rafael Sanzio em sua celebrada pintura
Pequena Biografia
Pitágoras (570-500 a.C.) foi um matemático grego, tendo sido também lider religioso, místico, sábio e filósofo. Nasceu em Samos, uma ilha grega na costa marítima do que hoje é a Turquia. Viajando a Mileto, uma cidade grega 50 quilômetros a sudeste de Samos, aprendeu Matemática com Tales (624-546 a.C.), considerado o fundador da Matemática grega. Segundo antigos historiadores, Pitágoras viajou para o Egito e para a Babilônia, onde é provável que tenha se encontrado com o profeta Daniel. É provável também que Pitágoras tenha estudado na Índia. Sua crença na reencarnação talvez tenha origem indiana. Um de seus contemporâneos é Buda, e é provável que Pitágoras e Buda tenham se encontrado. Em torno de 525 a.C. Pitágoras mudou-se para Crotona, uma cidade ao sul da Itália, onde fundou a Ordem (Escola) Pitagórica. Casou-se com Teano, provavelmente a primeira mulher matemática da história.

A Escola Pitagórica
O termo Escola Pitagórica se refere a uma escola filosófica no sentido histórico cuja existência se prolongou por mil anos desde sua fundação. O modo de vida e as doutrinas atribuídas a Pitágoras, provenientes de sua escola, recebem o nome de pitagorismo. Segundo historiadores, a Escola Pitagórica tinha um caráter peculiarmente duplo. Por um lado, dedicava-se a questões espirituais: os pitagóricos acreditavam na imortalidade da alma e na reencarnação e tinham a auto-reflexão como um dever consciente e imprescindível na espiritualização da vida. Por outro lado, como parte dessa espiritualização, incluía estudos de Matemática, Astronomia e Música, o que lhe imprimiu um caráter também científico, no sentido moderno da palavra. O estudo da Matemática - confundindo-se com a filosofia, pois "tudo é número" - era feito para promover a harmonia da alma com o cosmo. Dentre os princípios filosóficos que norteavam a escola pitagórica, destacam-se: a alma é imortal e reencarna-se; os acontecimentos da história repetem-se em certos ciclos; nada é inteiramente novo; todas as coisas vivas são afins; os princípios da Matemática são os princípios de todas as coisas.
Dentre os principais nomes da Escola Pitagórica destamos: Filolaus de Tarento (nasceu c. 470 a. C. e morreu c. 390 a. C.), Arquitas de Tarento (nasceu em 428 a. C. aproximadamente) e Hipasus de Metapontum (viveu por volta de 400 a. C.). O pitagorismo influenciou fortemente as obras de Demócrito de Abdera e Platão. Alguns séculos mais tarde houve uma revivência da Escola Pitagórica, e seus protagonistas passaram a ser chamados de neo-pitagóricos. Dentre esses destacamos Nicômaco de Gerasa, que viveu em torno do ano 100.
Tudo é Número
Os Pitagóricos chegaram à razoável conclusão, em seus estudos, de que "tudo são números". Essa afirmação parece ter sido fortemente influenciada por uma descoberta importante da Escola Pitagórica, a explicação da harmonia musical através de frações de inteiros.
Os Pitagóricos notaram haver uma relação matemática entre as notas da escala musical e os comprimentos de uma corda vibrante. Uma corda de determinado comprimento daria uma nota. Reduzida a 3/4 do seu comprimento, daria uma nota uma quinta acima. Reduzida à metade de seu comprimento, daria uma nota uma oitava acima. Assim os números 12, 8 e 6, segundo Pitágoras, estariam em "progressão harmônica", sendo 8 a média harmônica de 12 e 6. A média harmônica de dois números a e b é o número h dado por 1/h = (1/a + 1/b) 2.
Pitágoras dava especial atenção ao número 10, ao qual ele chamava de número divino. Dez era a base de contagem dos gregos, e dez são os vértices da estrela de Pitágoras. "A estrela de Pitágoras" é a estrela de cinco pontas formada pelas diagonais de um pentágono regular. O pentágono regular era de grande significação mística para os Pitagóricos e já era conhecido na antiga Babilônia.



Pentágono de cinco pontas:

figuras de muitos significados para a Matemática e a Filosofia da Escola Pitagórica.
As diagonais do pentágono regular cortam-se em pontos de divisão áurea. O ponto de divisão áurea de um segmento AB é o ponto C desse segmento que o divide de modo que a razão entre a parte menor e a parte maior é igual à razão entre a parte maior e o todo, ou seja, AC/CB = CB/AB. Para os antigos gregos, o retângulo áureo, isto é, de lados proporcionais aos segmentos AC e CB, é o retângulo de maior beleza.

A ÁRVORE DE PITÁGORAS

A figura em forma de árvore da página de abertura do Hipertexto Pitágoras é um fractal tridimensional chamado Árvore de Pitágoras.



Nossa versão da Árvore de Pitágoras foi construída por Yolanda Kioko Saito Furuya com o aplicativo Maple V, adaptando uma figura de Harm Derksen.

João Carlos Vieira Sampaio

A figura da Árvore de Pitágoras nos recorda que a Matemática é às vezes comparada com uma árvore, com raízes (Fundamentos da Matemática), tronco (estruturas numéricas e geométricas) e galhos (os principais são a Álgebra, a Análise e a Geometria). Independentemente de ser ou não apropriada essa comparação, vamos fazer uma breve descrição da Matemática, conforme a vemos hoje.
O que é Matemática.
Os matemáticos, em geral, preferem se abster de definir a Matemática. Penso que isso se deve a um sentimento ou a uma impressão de que, apesar do muito que já foi conseguido no desenvolvimento dessa ciência, algo de grande importância ainda precisa ser compreendido, conforme sugere a citação. Conscientes do caráter efêmero de tudo que é construído pelo homem, talvez seja mais prudente aguardar o amadurecimento dos tempos, e limitar nossas considerações à descrição do que tem sido efetivamente conseguido.
Quanto ao uso da palavra matemática diz a tradição que isso teve origem com Pitágoras. Segundo Anglin [1] pág. 33, a raiz do termo matemática deriva de uma língua Indo-Européia e seu significado é relacionado com a palavra mente.
Referências
[1] Derksen, H., Árvore de Pitágoras, em http://www.maplesoft.com/cybermath/samples.html.
[2] Furuya, Y.K.S., Programa de geração da Árvore de Pitágoras bidimensional. 1998, UFSCar.
[3] Furuya, Y.K.S., Programa de geração da Árvore de Pitágoras tridimensional. 1998, UFSCar.

A representação de Pitágoras foi adaptada da página. http://christusrex.org/www1/stanzas/S2-Segnatura.html. As figuras do pentágono e da estrela de cinco pontas foram preparadas por Roberto Paterlini, do DM-UFSCar, com o Corel 7. As outras figuras foram preparadas por Yolanda Kioko Saito Furuya, do DM-UFSCar.

A crise na Escola Pitagórica
Uma das mais importantes descobertas da Escola Pitagórica foi a de que dois segmentos nem sempre são comensuráveis, ou seja, nem sempre a razão entre os comprimentos de dois segmentos é uma fração de números inteiros (número racional). Essa descoberta foi uma conseqüência direta do teorema de Pitágoras: se um triângulo retângulo tem catetos de comprimento 1, sua hipotenusa terá um comprimento x satisfazendo x2 = 2, e portanto a razão entre a hipotenusa e um cateto não será uma fração de dois inteiros, já que a raiz quadrada de 2 é um número irracional. Parece que isso desgostou profundamente os Pitagóricos pois era uma descoberta inconciliável com a teoria dos números pitagórica. Somente no século IV a.C., Eudoxo, com sua teoria das proporções, redefiniu um conceito mais geral de razão entre dois segmentos, permitindo, em sua teoria, definir-se a razão entre dois segmentos comensuráveis ou não.

Acesso a outros endereços na internet sobre Pitágoras

http://www-history.mcs.st-andrews.ac.uk/history/index.html. Acesso à página sobre Pitágoras no sítio MacTutor History of Mathematics.
http://www.dartmouth.edu/~matc/math5.geometry/unit3/unit3.html.
Pythagoras & Music of the Spheres.
Referências
[1] Anglin, W. S., Mathematics: A Concise History and Philosophy. New York, Springer Verlag, 1994.
[2] Anglin, W. S. e Lambek, J., The Heritage of Thales.
New York, Springer Verlag, 1995.
[3] Boyer, C.B., História da Matemática. São Paulo, Editora Edgard Blücher, 1996.
[4] Eves, H., Introdução à História da Matemática. Campinas, Editora da UNICAMP, 1995.
[5] Honderich, T., The Oxford Companion to Philosophy. Oxford, Oxford University Press, 1995.[6] Rezende, A., Curso de Filosofia. Rio de Janeiro. Jorge Zahar Editor, 1999.

O Teorema de Pitágoras

Yolanda Kioko Saito Furuya

Relacionado ao nome de Pitágoras temos o famoso Teorema de Pitágoras, amplamente utilizado na Matemática Elementar.



Teorema de Pitágoras
Num triângulo retângulo a soma dos quadrados dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa.
Em outros termos, se a e b são os catetos do triângulo retângulo e se c é sua hipotenusa, então a2 + b2 = c2.
A figura abaixo mostra o significado geométrico do Teorema de Pitágoras. A área do quadrado construído sobre a hipotenusa é igual à soma das áreas dos quadrados construídos sobre os catetos.


A tradição matemática ocidental, durante longo tempo, atribuiu a descoberta deste teorema a Pitágoras. Pesquisas históricas mais recentes constataram que o teorema era conhecido pelos babilônios, cerca de 1500 a.C., portanto muito tempo antes de Pitágoras (confira [2], p. 61 e 63). Os chineses o conheciam talvez por volta de 1100 a.C. e os hindus provavelmente cerca de 500 a.C. (confira [1], cap. 12).

Uma das demonstrações mais elegantes do Teorema é conhecida como a demonstração do quadrado chinês.

Dado um triângulo retângulo de catetos a e b e hipotenusa c, construímos dois quadrados de mesmo lado a+b. Em cada um desses quadrados dispomos quatro cópias do triângulo retângulo, como na figura abaixo (em vermelho). A soma das áreas remanescentes do primeiro quadrado (em amarelo e verde) é igual à área remanescente do segundo quadrado (em azul). Portanto a2+b2=c2.

Outra demonstração, também obtida da decomposição do quadrado, é atribuída a Bhaskara, matemático hindu do Século XII. Segundo [2], p. 258, Bhaskara teria apenas desenhado a figura e escrito "Veja!", sem dar maiores explicações.




O quadrado maior, de lado c, é decomposto em quatro cópias do triângulo retângulo e mais um pequeno quadrado de lado a - b.
Existem por volta de 400 demonstrações do Teorema de Pitágoras. Na internet você pode obter mais informações:

· O matemático Einar Andreas Rodland, entrando em uma lanchonete, observou que o desenho do piso podia ser usado para uma demonstração do Teorema de Pitágoras. Você pode ler sobre esta história em http://www.math.uio.no/~einara/McPyth.html.

· Você pode fazer uma inesquecível viagem na Internet e estudar uma visualização animada, construída por Jim Morey, de uma das demonstrações do Teorema de Pitágoras atribuídas a Euclides. O endereço é http://sunsite.ubc.ca/LivingMathematics/V001N01/UBCExamples/Pythagoras/pythagoras.html.

· Alexander Bogomolny apresenta em http://www.cut-the-knot.com/pythagoras/index.html 28 provas do Teorema de Pitágoras assim como acesso a outras páginas da internet relacionadas com o mesmo tema.

· Em http://mathworld.wolfram.com/PythagoreanTheorem.html, página do Eric Weisstein's World of Mathematics, você encontra informações adicionais.

Referências
[1] Boyer, C.B., História da Matemática. São Paulo, Editora Edgard Blücher, 1996.
[2] Eves, H., Introdução à História da Matemática. Campinas, Editora da UNICAMP, 1995.

Biografias de outros matemáticos, no matemática na veia:
Apostila com 8 páginas para download Biografia de Pitágoras

Em breve mais atualizações, aguarde.

Se você quer cooperar com dicas, programas, artigos. Fique a vontade, e mande um e-mail para caco36@ibest.com.br ,ou comente aqui mesmo, por enquanto ficamos por aqui, Agradeço antecipadamente, comentários, dicas, criticas e sugestões.
Observação:
- Após terminar seus downloads, passe um antivírus antes de abrir seu arquivo.
- Crie um ponto de restauração no Windows, antes de instalar qualquer programa,ou arquivo .
Assine aqui, o feed do Matemática na veia , e receba por e-mail os artigos do blog. Fique por dentro das novidades, e curiosidades da matemática



Seguir o caco [ Matemática na Veia ] no Twitter

48 Comentários

daniella disse...

oq ?

Arilza Vieira disse...

Amei o site e minha pesquisa ficou excelente com o trabalho variado desse site.Realmente fazem jus ao nome "matemática na veia".Felicidades

caco disse...

Obrigado Arilza. Os elogios são o combustível do blog.

Anônimo disse...

muito bom este site, encontrei tudo que precisava saber sobre pitágoras.

caco disse...

Obrigado! Se precisar de mais alguma coisa é só pedir que eu dou um jeito de conseguir. Coloque o seu email na próxima vez que comentar(seu nome)

alana disse...

vou faze meu trabalho agora

Anônimo disse...

Dannynhah !..
eu adorei esse site qêe me ajudou muito !
e até fiz um trabalho de pitágoras graças a esse site !
adorei mais eu acho qêe está faltando as obras de pitágoras não ??
espero resposta !!
meu email é :
dannys2@ymail.com
grata !!!
BjÓks...;)

matematica-na-veia disse...

Dannynhah,primeiro quero lhe agradecer pelo elogio. Fico feliz que este material tenha lhe ajudado. Quanto as obras de Pitágoras, realmente faltam muitas. Mas pretendo atualizar o mais breve possível. Não sei se você olhou em outras páginas do blog,mas têm mais dois textos sobre Pitágoras.

E no decorrer do texto deixei alguns links para serem visitados se fosse necessário para uma pesquisa mais aprofundada.

http://matematica-na-veia.blogspot.com/2008/02/vdeo-sobre-biografia-de-pitgoras-de.html

http://matematica-na-veia.blogspot.com/2007/11/teorema-de-pitgoras-no-cu.html

http://matematica-na-veia.blogspot.com/2007/09/pitgoras-pitgoras-representado-por.html

Obrigado pela visita. Abraços e um bom trabalho.

Anônimo disse...

Bom eu adorei o site por q atravez dele eu pude termina o meu trabalho!!!!!!

Anônimo disse...

Sou professora primária e vejo a dificuldade de relatar ao aluno o verdadeiro caminho,ensinar matemática.
Obtive uma idéia,através da ajuda deste site;introduzir já no principio do ano letivo a capa do caderno,ao invés da capa tradicional intruduzir "A HISTÓRIA DE MATEMÁTICA". Já tirei copia!
Obrigada!

caco disse...

É gratificante saber que os conteúdos do blog estão sendo úteis tanto para alunos quanto para professores. Um grande abraço para todos!

Anônimo disse...

muito bom o site,e me ajudou muito...

Anônimo disse...

MUITO OBRIGADA *-*
Ajudou muito no meu trabalho da escola, e aprendi bastante também, adorei, e obrigada !

caco disse...

Obrigado Sr(a) Anônimo(a)! Se precisar de mais alguma coisa é só pedir aqui no blog, ou mandar um e-mail. Só uma coisinha! Coloque o seu nome ou email na próxima vez que comentar.Um abraço e até a próxima visita.

andre disse...

valeu galera

caco disse...

É isso aí André, veleu pela participação. Com diz o 'velho deitado' , "de grão em grão a galinha enche o papo".

Anônimo disse...

OI Aila parabéns pelo o Blog fk Massa
e assim podemos ver com foi que surgio amatematicaa e suas origens. Gosteiii
beiijaaooa té mas
Ass:Fabricio Sena

Ademilton disse...

Gostei do blog e tenho certeza que todos que visitaram, bem informativo, estão todos de parabéns.

Abraço.

Anônimo disse...

foi muito legal saber que podemos contar com um site desse que nós informa sobre a vida de pitágoras me ajudou muito na tarefa da escola

Anônimo disse...

Ameeeeeeeeeeeeeeei, eu só quueria um de Talees de Mileto tbm hehehe, ai tuudo ficava perfeito (:, meu email = jubss2jubs@hotmail.com

caco disse...

Obrigado a todos que comentaram e elogiaram o blog matemática na veia. Pois é Jub, um erro imperdoável que pretendo corrigir nos próximos dias. Acredite que já tenho a biografia de Tales prontinha, só que meu hd travou e estou tentando recuperar o conteúdo aos poucos. Um abraço a todos!

Carina Kottwitz disse...

cade as principais obras de pitagoras ?}?

caco36 disse...

 Pois é carina , falar sobre o mestre Pitágoras não é um trabalho fácil. Você está coberta de razão, mas prometo que nas próximas postagens me lembrarei da sua pergunta. Abraços.

caco36 disse...

 Será providenciado Anonimo!

caco36 disse...

 Valeu Ademilton. Um abraço e volte sempre!

caco36 disse...

 Beleza anomimo! Um trabalho a mais realizado com a ajuda do blog matemática na veia, hehe!

Brunna-97 disse...

adorei o texto é muito bom e me ajudou muito no meu trabalho!!

Agda Garota10 disse...

nossa show de bola
gostei muito de estudar sobre a vida de
PITÁGORAS

caco36 disse...

 Valeu Bruna! Volte sempre que precisar.Abraços.

Junior-chagas11 disse...

ta doido mana irado wind surf .eu ñ sou doido 

Luana-s2 disse...

aff  quii chatoo estudaa isooo mano era pra mim taa na rua e melhorr
(8) onde chegoo paroo tudooo  rsrs

Genesio disse...

Valeu!!!  ajuda muito pra quem quer aprender

Kmylla-12 disse...

chatooo idiotta nem mostra as principais obras

Betania disse...

PUDE APRENDER BASTANTE COM O REFERIDO TRABALHO. OBRIGADA FOI DE GRANDE CONTRIBUIÇÃO PRA MIM!!!!!!

Ana beatriz s2 disse...

aff nada melhor do que matemática pra ñ dizer ao contrario

Vitoria Silveira3 disse...

muito bom a materia.. parabens, consegui fazer meu trabalho todo..

erick disse...

primeira vez q eu fiz um trabalho sobre pitágoras e achei muinto bom apesar de n gostar de matamática mas te que fim acabei as22:49 desta sesta-feira.

Taborda disse...

Muito bom o artigo porém a média harmôica, no segundo membro da equação, não multiplica por dois mas sim divide. Valeu!!!

barbara disse...

Eu adorro matematica mas esse conteudo e o q ta mim dando muito trabalho
mas ate q eu to gostando um pouco kkk....
mas essa biobrafia ta mim ajudando a entender mais sobre esse conteudo obrigado a todos vocês

marcos vinicios vitor carvalho disse...

parabens a materia e otima atraves dela consegui fazer o meu trabalho todo ..... obrigado

kauani disse...

legal

celiny stargirl disse...

valeu mesmo adorei, espero ver mais blogs cmo esse....

aderson disse...

e muito bom esse material adorei

euzinha disse...

gostei mas ñ gosto de matemática

joelson vaizer disse...

tudo em dia mas o problema é q não gosto de matemática

Anônimo disse...

This article is genuinely a fastidious one it helps new net visitors, who are wishing for blogging.


Feel free to visit my site - meditation

Anônimo disse...

Muito legal, adorei o blog.
Me apaixonei mais e mais pela matemática.
Valeu, com isso vou fazer um trabalho otimo obg bjoos

Anônimo disse...

muuuuuuuuuuuuito bom!!!!!!!!!!!mim ajudo bastente

Feed dos Comentários deste Artigo Receba alertas dos comentários deste artigo por e-mail:

Assine os comentários deste artigo agora!

- Não se esqueça de colocar seu nome nos comentários.

Postar um comentário

Precisa de ajuda? Use o e-mail caco36@ibest.com.br

É necessário Colocar sua dúvida aqui nos comentários também. Assim que for possível ela será resolvida.

Regras básicas para comentar:

- Ao pedir ajuda,não use a opção anônimo.
- Como última alternativa use a opção [ Nome / Url ].
- Não é necessário colocar [Url], somente nome.
- Os comentários serão todos moderados.
- Obrigado!